domingo, 8 de agosto de 2010

PESQUISAS DE OPINIÃO

É muito forte a probabilidade de que as pesquisas ganhem as eleições. Os métodos são científicos. A escolha da amostra segue princípios estatísticos. Por que entrevistar este e não aquele faz parte da probabilidade. Tudo é provável. E o número encontrado prova que alguém vai ganhar as eleições.

Vamos aos números. A doutora encontrou 52,6 milhões de eleitores que, no momento, votarão nela (39% dos 135 milhões de inscritos). O Zé tem 45,7 milhões (34%) e Marina Silva, 12,1 milhões (9%).

Agora, não se trata mais de probabilidade. 52,6 milhões querem a doutora como presidenta da república e 57,8 milhões não a querem. Faltam ainda 24,3 milhões que não estão nem aí para as pesquisas de opinião. Portanto, nesta semana, há um total de 82,1 milhões contra 52,6 milhões.

Aí vem a história dos votos válidos. Voto válido é uma coisa. Eleitor, opinião do eleitor é outra.

Se a doutora for eleita com 50% dos votos válidos, não será com a metade dos votos dos eleitores. Provavelmente, com a ajuda da máquina estatal, ela governará o país contra a maioria dos eleitores.

Por isso, nenhum candidato eleito, seja a doutora, o Zé ou a Marina, pode ser presunçoso, autoritário, fascista, impositivo. O eleito estará em minoria no governo, tomando-se em consideração a democracia participativa, não a eleitoral. O óbvio, então, é conclamar os eleitores para pôr em funcionamento a democracia participativa.

Mas, como nunca nesse país....

2 comentários:

Ariany disse...

Olá,

Meu nome é Ariany, eu represento o Blog Vestibular, da FECAP (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado).
Primeiramente lhe parabenizo pelo seu blog e gostaria de lhe convidar a conhecer e opinar num ambiente repleto de informações sobre educação: http://blogvestibularfecap.blogspot.com/

Conto com a sua visita!
Até mais!

Anônimo disse...

Obrigado Ariany.
Visitarei seu blog para intercâmbio