quinta-feira, 13 de maio de 2010

BOLA FAMÍLIA

No último plebiscito, Dunga se elegeu presidente do Brasil e destituiu o Imperador. Durante trinta dias, o patriotismo nacional estará nas mãos do presidente Dunga. Tuma e suas ligações perigosas com a máfia internacional chinesa, pelas leis de Freud, ficarão de quarentena mordendo o inconsciente do ex-presidente Lula. Na primeira análise científica sobre os jogadores convocados, o técnico Lula trocou o Superego Dunga pelo Id Tuma.

Para compor o governo provisório, o presidente Dunga convidou 11 ministros e 13 vice-ministros. 13? Não são nossos melhores profissionais, mas gozam de boa cotação nas bolsas mundiais do futebol. São nomes de executivos que a maioria do povo brasileiro conhece em detalhes. Suas ações terão altas ou baixas significativas no up-grade de investidores em pés atléticos.

Milhões de analistas credenciados acompanharão, com artifícios estatísticos, a evolução do crescimento do PIB (produto individual balístico) e o número de pontos que possam declarar o Brasil primeira potência mundial do esporte britânico.

No Brasil dos 170 milhões de eleitores que acorreram às urnas do BBB, quem sabe quantos ministérios criou o ex-presidente Lula?, Neste país, descoberto em 2003, quantos cidadãos sabem o nome do atual ministro da agricultura, ou da cultura, ou da justiça?

Nesses 30 dias de governo de exceção, de férrea ditadura dos meios de comunicação e de censura prévia aos assuntos ditos essenciais, os ratos estarão soltos na Esplanada dos Ministérios e em todos os armazéns da república.

Não importa. Com onze ministros, o presidente Dunga administrará as emoções dos brasileiros e, se a sorte o ajudar, terá executado, em 30 dias, o mais eficaz programa de eliminação da desigualdade social − o Bola Família.

Todos iguais perante a bola. Uma só bandeira. Um só grito.

2 comentários:

GLOBOMANIA disse...

Obiservador nao da p/ ser mais positivo?

mas assim mesmo te aconpanho.

Hilkka disse...

Amigo,
A ironia é uma forma de expressar sentimemntos.
A proximidade entre Bolsa Familia e Bola familia pareceu-me ocasião para jogar com o humor exasperado da mídia na cabeça do brasileiro que pouco pensa.